domingo, 23 de maio de 2010

Bom dia, o serviço que você presta será migrado para o outro lado do mundo. Beijo me liga!

Imagino que foi mais ou menos com essa frieza que o time da migração alemã lá do Shell Business Center Services (SBSC) recebeu essa notícia na semana que passou.

Devo ter comentado aqui que, neste Centro da Shell em que eu trabalho, são prestados serviços financeiros e de atendimento ao consumidor para mais de dez países, a maioria deles, europeus (a migração brasileira é exceção). Assim como o Centro de Cracóvia, a Shell possui outros quatro Centros que prestam estes serviços a outros mercados: Glasgow (Escócia), Cidade do Cabo (África do Sul), Chennai (Índia) e Manila (Filipinas).

O time que presta serviços ao mercado alemão é um dos maiores do Centro, senão o maior, afinal, um mercado consumidor gigante (para os padrões europeus) e sobretudo, rico, como o alemão, demanda muita mão de obra. São mais de setenta pessoas (entre alemães, austríacos e poloneses que falam alemão) trabalhando nesta área.

Na nossa reunião semanal de time, o Michal (nosso chefe) costuma nos passar updates sobre o que tá rolando na empresa e uma das novidades foi essa. Segundo ele, alguma instância superior lá fez um estudo e concluiu que no longo prazo seria mais barato ter as operações do mercado alemão operando no centro de Manila, não mais em Cracóvia. Pronto, em pouco tempo, tudo será migrado pra lá e mais de setenta empregos aqui vão sumir, póf!

Todo mundo na reunião ficou meio apreensivo, se olhando, até que o Pedrão perguntou: "tá mas, o que nós temos a ver com isso?", já imaginando que nós poderíamos ser a próxima bola de vez. "Na verdade, nada, é mais para conhecimento mesmo", respondeu o Michal. Diz ele que nós não precisamos nos preocupar (tanto) pois a nossa migração tem um fator que de certa forma nos protege deste tipo de manobra: a língua. Segundo ele, é mais fácil encontrar pessoas que falem alemão do que português...gente falando alemão, nas Filipinas, ainda por cima com um grau de fluência que permita negociações por telefone? Eu hein, sei lá em que o "Sr. Instância Superior" se baseou pra concluir isso, mas que me parece meio improvável, parece.

Mais ou menos assim que funciona, heheh...


Tudo isso depois de a empresa ter investido sei lá quanto milhares de euros para migrar o serviço pra cá e ter investido em cursos intensivos de alemão para os poloneses que terminou mês passado (sim, a empresa passou dois meses pagando salário para que as pessoas passassem a semana inteira só estudando). Agora, toda a ala da migração alemã (que fica ao lado da nossa) simplesmente vai ficar vazia, até que um outro Sr. Instância Superior qualquer faça algum estudo e conclua que é mais barato migrar os serviços de algum outro lugar para Cracóvia (parece que a bola da vez é o centro de Glasgow, que é o mais caro dos cinco).

Isso me faz lembrar aquele filme, "Outsourced" ("Terceirizado", em tradução livre) que conta a história do choque cultural vivido por um americano ao ter que treinar funcionários na Índia após os serviços da empresa onde ele trabalha terem sido migrados pra lá, muito bom o filme, recomendo! Tá aqui a sinopse e o trailer!

Ééé, como já diria a música: "homem primata, capitalismo selvagem...uuôô ô!".

3 comentários:

  1. É a mãe Shell as vezes da uma de madrasta Shell, hehehe!

    ResponderExcluir
  2. Eu vi o filme que tu disse. Gostei muito. Abração!

    ResponderExcluir